Entrevista: Juliana Godoi – Skatista

Tivemos uma conversa muito bacana com a skatista Juliana Godoi, que nos rendeu uma bela entrevista! Confira.

Quando você começou a andar de skate? Como foi esse começo?

Meus primeiros passos no Skate foram com oito anos de idade. Comecei andar por conta do meu vizinho, que tinha o costume de andar na rua depois que chegava do colégio.  Certo dia eu estava muito afim de saber como era, então não perdi tempo. Pedi para andar para sentir a sensação e foi ali que percebi que já queria um skate pra mim. Foi uma conexão!

Qual foi o maior incentivo?

Minha mãe foi a que mais me incentivou a andar de skate. Quando eu era criança eu gostava de fazer de tudo e mais um pouco, nunca tive medo. Abandonei o ballet pra fazer luta, depois fui para a natação, depois para a dança, e por aí vai. Quando cheguei no skate vi que as pessoas me olhavam de um jeito diferente. Elas diziam “Mas ela é menina, andar de skate é coisa de moleque, ela tem que fazer outra coisa.”; e isso me deixava desanimada. Nesses momentos, minha mãe estava sempre ao meu lado, me apoiando, me incentivando, acreditando em mim. Por isso que, se hoje eu ando de skate, é por conta da minha mãe. Ela foi o meu maior incentivo!

Qual manobra foi a mais difícil?

Quando eu andava em street eu sempre achei que o Flip era a manobra mais difícil de todas, mas eu estava enganada. Eu sofri muito mais pra aprender a mandar um Fakie Varial bonitão do que o Flip.

Que tipo de som você curte ouvir para andar?

Curto muito Hip Hop, Rock e Indie. O som que escuto varia dependendo meu rolê. Tem dias em que eu quero fazer um rolê mais tranquilo, então escuto um Indie, ou um Trap bem tranquilo. As vezes eu coloco um Rock mais pesado. Tudo depende da minha vibe no momento.

Indique uma música perfeita para o rolê.

Não tenho a musica perfeita pro rolê, eu curto ouvir de tudo e mais pouco. Como eu disse, a música varia muito do meu dia. Mas uma música que acho muito boa para dar rolê é do Drop The World Ft. Eminem, do Lil Wayne.

Qual o Skate Park em que você mais gostou de andar?

Sempre fui de andar em pista de rua, então não fui para muitos Skate Parks. Mas quando a Royal Extreme Park, de Campinas, foi inaugurada, eu nunca mais sai de lá. Lá é praticamente minha segunda casa. Tanto que hoje represento a Família Royal Extreme.

Você tem patrocínios ou apoios?

Tenho apoio da Hammer Skateboard e patrocínio da Royal Extreme Park.

Qual foi a sua melhor premiação/pontuação atingida?

Foi quando eu participei do campeonato Futuro da Nação, feito especialmente para meninas, em 2016. Fiquei em terceiro lugar no Street Amador – eu não ia disputar essa modalidade, mas fui convidada em cima da hora e acabei aceitando. Também peguei quarto lugar no Mini Ramp Amador. Na premiação eu ganhei alguns shapes, roupas, bonés, ferramentas, e é claro, a medalha!

Premiação Futuro da Nação

Olha eu ali no canto!!!

 

Qual o seu maior ídolo(a)?

Quando comecei andar de skate, eu acompanhava muito a Karen Jonz, e ainda a admiro até hoje. Eu lembro que assistia a alguns campeonatos e ela estava sempre correndo no Vert. Eu pensava “Cara, um dia vou ser que nem ela, quero voar que nem ela voa”. Ela foi a minha inspiração não apenas para andar, mas também para me vestir e como me comportar no rolê. Também não posso me esquecer da Leticia Bufoni, ela foi (e continua sendo) uma inspiração pra mim no street. Eu admiro demais essas as duas, tenho ambas como inspiração para muito mais do que apenas o Skate.

Qual o seu maior sonho?

Meu maior sonho, hmm… tenho vários. Sempre estou querendo realizar algo novo, ter experiências novas. Se for para escolher um, posso dizer que meu maior sonho é sair do Brasil e conhecer Califórnia, fazer um super rolê de skate. E claro, conseguir um bom apoio ou até mesmo patrocínio e correr internacionalmente, representando o Skate feminino. Quero conhecer todas as meninas do Skate feminino, tanto do Vert quanto do Street.

Qual o seu setup atual?

Uso os shapes Hammer, tamanho 8,25. Atualmente estou usando um de marfim, um excelente shape, leve e resistente. Indico bastante. Uso o tênis da Dual, ele é muito confortável.

Uso as rodas e os rolamentos da 1968. Rodas 56mm e rolamentos 56D Bason Skull Fly. Ambos são muito bons! Não tenho nada a reclamar.

Juliana Godoi

O que você tem feito hoje? Tem algo a nos contar sobre os seus treinos e planos futuros?

Atualmente estou dando aulas de Skate na Royal Extreme Park, em Campinas. Estou treinando quase todos os dias da semana, sempre que dá tempo eu encontro um jeito de manter as manobras na base e aperfeiçoa-las, além de aprender manobras novas. Pretendo participar de todos os campeonatos que eu conseguir esse ano, e estou muito focada em obter destaque com bons resultados.

O que você tem a dizer para as outras skatistas brasileiras?

Primeiramente, sempre seja você mesma. Nunca desista dos seus sonhos. Busque aquilo que você realmente quer e nunca, nunca se acomode. Esteja sempre apta a quebrar os seus próprios limites!

 

Juliana Godoi tem 19 anos, é natural de Serra Negra-SP e atualmente reside em Campinas-SP.

Fique atento às nossas próximas entrevistas. Siga-nos nas redes para ficar por dentro das novidades!

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-color: transparent;background-size: initial;background-position: top center;background-attachment: initial;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 250px;}